quarta-feira, 7 de maio de 2014

A tendência é de mudança. E Aécio já desponta como o grande adversário do PT

Já afirmei aqui, algumas vezes, que a esta altura do campeonato, os números das pesquisas eleitorais quantitativas não tem grande importância. São, de fato, como avisa aquele velho chavão, um "retrato do momento" - sujeito a alterações, principalmente quando iniciar a campanha de televisão.

Por ora, o que realmente importa são as tendências que se apresentam. Principalmente quando elas são confirmadas por diferentes institutos, ainda que os números variem. Mais especialmente, quando tais tendências se mantém ao longo de três ou mais séries, fornecendo a chamada "curva". Como eu já disse outro dia, acho que no Twitter, neste momento, número é nada e curva é tudo.

E se curva é tudo, o que temos visto nas últimas semanas é uma sucessão de pesquisas que evidenciam Dilma em queda e Aécio em crescimento. Não apenas nas pesquisas nacionais, como as últimas publicadas por IBOPE e Sensus, mas especialmente naquelas realizadas nos estados.

 Em diversos estados, vemos Aécio Neves empatar com Dilma ou ultrapassá-la. No Distrito Federal, Aécio apareceu com 22,9% das intenções de voto, contra 21,7% de Dilma. Em Santa Catarina, a última pesquisa apresentou empate técnico: Dilma com 33% e Aécio com 28,1%. A mesma situação no Mato Grosso, onde ambos apresentam 26,1% das intenções de votos. Já no Espírito Santo, Dilma tem 23,1% e Aécio 22,5%.

Realizadas por diferentes institutos, com métodos também diferentes, o que as pesquisas quantitativas - tanto as nacionais, quanto as estaduais - estão mostrando é uma forte tendência de mudança. No momento, pouco importam os números. O que importa é a confirmação, ou não, das tendências. E, por ora, elas mostram que Dilma está em queda. E que Aécio Neves já desponta como o principal adversário da petista para o pleito de outubro.

5 comentários:

Anônimo disse...

Concordo, e meu voto vai para o PSDB, como sempre tem ido. Mas não posso deixar de perguntar: Aécio vai trazer a mudança necessária? Ele não é conciliador demais? Sempre tenho medo de "quebrar a cara", e dessa vez não será diferente. Mesmo assim, vou com Aécio. Quem sabe?

Bluesette22 disse...

Notícia maravilhosa, querida! Após 7 dias fora, só ansiava por notícias do Aécio.
Obrigada, bjs

Anônimo disse...

Otra cosita mas: Nosso candidato Aécio Neves diz que vai ter de tomar medidas impopulares. É claro que sim. Mas há um problema: O PT será oposição, e fará um escarcéu quando tais medidas forem implementadas. O risco? O de Lula, doença que assola o Brasil, como já disse alguém, voltar em 2018. Eu torço para que tais medidas impopulares possam ter efeito rápido, e torço para que o PSDB seja convincente na comunicação com o povo. PT de novo eu não quero, e não quero que o governo Aécio Neves seja apenas uma interrupção da famigerada luta petista pela hegemonia.

MAURO disse...

Aécio Neves é a única saída para livrarmos o Brasil das garras do PT e suas franjas. Se ruim com ele, sem dúvidas, péssimo com Dilma.
Quanto a Eduardo Campos, sua devoção a Lula o condena.
O que difere Eduardo Campos de Lula é que o ex-governador pernambucano bebe menos e mente menos. No entanto, ideologicamente, um é o complemento do outro. Eduardo Campos é Lula 20 anos mais jovem, por isso, potencialmente mais perigoso.

Adalmo disse...

A hora agora é de mudanças, se Aécio vai ser bom ou não, não vem ao caso, o negocio é tirar o PT do poder.