quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Marido de Marina Silva é funcionário de governo petista. E a imprensa faz de conta que não sabe.

Não é segredo que a origem humilde e a infância sofrida  transformam Marina Silva em objeto de fetiche de boa parte da imprensa nacional. Se trata, na verdade, de um fenômeno mundial: salvo raras exceções, indivíduos oriundos de segmentos – sociais, culturais, raciais -  que nunca chegaram ao poder tendem, no momento em que se apresentam na política,  a cair nas graças da imprensa.

Que a ex-ministra de Lula não representa novidade alguma no cenário político nacional, já falei exaustivamente neste blog – basta ler o último post, aí embaixo, para ter um bom resumo da coisa.  Mas a  imprensa pode acatar ou não que a aliança Eduardo e Marina é apenas um outro PT. Sonhar com a sonhática é um direito que lhes cabe. O que a imprensa não pode é, em prol de seu fetiche, se omitir e deixar de fazer perguntas incômodas aos que elege como favoritos.

Pois é exatamente o que está acontecendo. Ontem, o portal Implicante evidenciou que o marido de Marina Silva, Fábio Vaz de Lima, é  Secretário Adjunto de Desenvolvimento, Indústria, Comércio, Serviços, Ciência e Tecnologia – um cargo de confiança, notem bem – no governo do estado do Acre. Governo do PT, portanto, sob o comando do, vamos repetir, petista Tião Viana.

Considerando como Marina tem monopolizado as atenções da imprensa ultimamente, é inadmissível que ninguém soubesse disso. Na sequência, torna-se inaceitável que, tendo concedido longas entrevistas a grandes jornais, rádios e programas de televisão, ninguém – absolutamente ninguém – tenha trazido à tona esta questão.  Todos pouparam Marina de responder o motivo pelo qual, mesmo ela dizendo ter rompido com o PT, o marido segue no projeto petista. Por que, mesmo fazendo campanha para a criação da Rede Sustentabilidade, Fábio segue ligado ao PT? Por que Marina, que diz querer acabar com a lógica dos cargos, do fisiologismo, na política nacional não começa tal revolução dentro da própria casa?

Quem leu toda a matéria do Implicante sabe que Fábio Vaz de Lima está dizendo que não pretende pedir demissão -  pelo menos, “não este ano”.  


Pois eu vou fazer uma aposta com vocês. Se esta história crescer um pouco mais na internet, Fábio pede demissão dentro de alguns dias. E, só então, a grande imprensa nacional falará do assunto – para dizer, claro, que a atitude é mais uma prova do quanto Marina Silva e os seus são coerentes, bem intencionados, etc e tal. Ou, então, para dizer que ele “foi perseguido pelo PT” – o que também colabora para lapidar a imagem de pureza e vitimismo que esta mesma imprensa tem ajudado Marina a construir. Nenhuma linha será publicada sobre Fábio Vaz de Lima jamais ter pensado em demissão antes de seu cargo ter virado assunto na internet. Este lado pouco louvável da história eles vão evitar.

4 comentários:

Anônimo disse...

A aparelhagem é tão bem arquitetada que, agora, a Marina não vai mais em busca de votos para implodir a oposição, mas o PSB, até então partido governista. Não é de hoje que Marina é a mais petista ex-petista. A imprensa é conivente com Marina, assim como tem sido com Lula, pelo simples fato de garantia de fontes de financiamento às custas do dinheiro do contribuinte, caso a coisa dê errado para o lado de Dilma.

Anônimo disse...

"A PODRIDÃO É GERAL!"

Liliana Pellegrini disse...

Se na próxima eleição ganhar um candidato que continue com o modelo PODRE atual...bye bye Brasil!

Anônimo disse...

Tem um viés pouco feminista no seu arrazoado. Meu marido é petista. Eu não sou. Somos dois votos distintos aqui em casa. Você quer atrelar o marido de Marina a ela. Por que ? Lutamos tanto para ser desatreladas de nossos maridos.