sexta-feira, 19 de julho de 2013

Marina Silva, dissimulação e petismo envergonhado

Não pode haver surpresa com o fato de que Marina Silva apareça, nas últimas pesquisas, como a grande beneficiária das manifestações nacionais que andaram pedindo o fim da política e dos políticos.

Sem cargo legislativo ou executivo desde 2009 – e sem partido até o início deste ano - a fundadora do PT, ex- vereadora, ex-deputada estadual, ex-senadora e ex-ministra do governo Lula vem alimentando, com sucesso, uma imagem de criatura pura, jamais maculada pelos trâmites tradicionais da política nacional.

Mas não é só dos desavisados que ignoram sua longa carreira política dentro de um sistema que hoje ela diz condenar, que o marketing de Marina Silva se beneficia. Ela também encanta porque se apresenta como ícone do petismo envergonhado – a turma que votou em Lula em 2002 e sentiu-se traída em meados de 2005, quando o mensalão veio à tona. Para estes, Marina coloca-se como representante máxima da decepção e revolta com um PT que "se desviou do bom caminho", adotando táticas que condenara até chegar ao poder
.
Seria lindo se não fosse uma mentira deslavada – do tipo que só está colando porque ninguém tem coragem de chamar Marina Silva pelo que ela realmente é: uma oportunista, com ares de santa e ambições comuns a qualquer outro político que caminhe sobre a face da terra. “Qualquer outro político” é, na verdade, uma injustiça. Marina pode ser comparada aos piores se considerarmos como ela manipula a opinião pública dizendo combater um sistema no qual tem se banqueteado há pelo menos três décadas.

Hoje Marina se diz chocada com o maior escândalo de corrupção que a república já viu: o mensalão petista. E, embora jamais o diga literalmente, sua postura sempre deixa subentendido nas entrelinhas que o mensalão foi o motivo pelo qual ela teria abandonado o PT.

Nada mais ilusório. Na verdade, depois que as denúncias do mensalão estouraram, Marina se manteve no PT por quatro longos anos. De 2005 a 2009 ela conviveu, ombro a ombro, com os colegas mensaleiros – governando, sem qualquer pudor, com eles e para Lula. Queixava-se, sim, da “generalização” com a qual o senso comum julgava todos os membros do partido pelos atos de uns poucos – discurso que, aliás, mantém até hoje. 

Se Marina saiu do PT em  2009 não foi por estar escandalizada com a falta de ética do partido – fosse isso, teria motivos de sobra para sair em já em 2005.  Marina só saiu do PT porque abandonara o governo Lula, um ano antes, derrotada numa disputa política– daquelas bem típicas da política que ela hoje diz renegar – com o então ministro de assuntos estratégicos de Lula, Roberto Mangabeira Unger.

Afastada do governo, Marina Silva foi viver da política tradicional que ela hoje condena: reassumiu sua vaga no Senado Federal, de onde saiu apenas para candidatar-se à presidência da república pelo Partido Verde.

Tendo conquistado quase 20 milhões de votos no pleito de 2010, ela se manteve no PV até meados de 2011, quando parece ter percebido que ali não haveria espaço para suas ambições pessoais. 

Dissimulada, em 07 de julho de 2011 Marina comunicou sua desfiliação do Partido Verde jurando, por todos os santos, que fazia tal coisa sem qualquer motivação eleitoral. Desde então tem trabalhado dia e noite para construir um partido que lhe permita candidatar-se novamente à presidência.

É por isso que sorrio constrangida sempre que alguém me diz que Marina Silva pode ser um “novo caminho” para a política nacional. Em primeiro lugar porque, como se viu, não há nada de novo em Marina Silva. Desde os tempos de Chico Mendes, tudo nela é dissimulação e vitimismo colocados a serviço do marketing eleitoral. 

Depois, porque é óbvio que Marina só pode convencer a dois tipos de eleitor: os jovenzinhos crédulos e os ex-petistas que se dizem envergonhados. Os primeiros serão ludibriados por sua falta de cultura política. Os segundos se deixarão iludir novamente porque, ao que parece, não resistem à lábia de um falso messias. 

11 comentários:

Maria do Espírito Santo disse...

A verdade é simples e persistente como tortura chinesa: em briga de elefante, quem sai perdendo é a grama. Ou, em outros termos (e neste caso específico), em briga de PT e PV, dois elefantes brancos, quem sai perdendo, em primeiro lugar, não é a grama: é a gramática. Membros de ambos os partidos são elefantes pisoteando a "última flor do Lácio inculta e bela".

Há quem diga que bezerros recém-nascidos não têm medo de tigres, asiáticos ou não. A democracia no Brasil é um recém-nascido de, no máximo, cinco dias. Assim sendo - e assim é - fica fácil ludibriar o "povo", pai e mãe desde pequeno infante.

E Marina Silva não ludibria apenas estes dois tipos de eleitor que você citou, por mais abrangentes que as duas castas possam ser. Marina ludibria - ou, o que é muito pior! pode vir a ludibriar - a maioria dos eleitores brasileiros. E afirmo isto porque o "protesto" das ruas, em termos de clareza de objetivos, espelha a mesma vaguidão de propostas de Marina das Selvas. E é impressionante como eleitores toupeiras casam perfeitamente com candidatas (que de cândidas nada têm) espertinhas e safadas.

Não duvide: da Marinalva ninguém se salva!

E não acredito que a responsabilidade deste perigoso fenômeno selvagem possa ser creditada aos jovenzinhos crédulos e aos ex-petistas envergonhados. Neste ponto, endosso o ponto de vista de Hannah Arendt: o homem comum, o homem banal, trivial simples, o babaca com quem topamos em ambientes pululantes de bactérias de cultura política, este é o perfeito responsável pelas grandes tragédias totalitaristas (vide vida de Hitler) here, there and everywhere.

Aldirio Almeida disse...

Então votaremos no Aécio e seremos muito muito felizes :)

Ruy Cavalcante disse...

Poucos sabem, ou tentam esquecer, mas nas eleições de 2010, aqui no Acre, ela apoiou o PT, saindo inclusive em todos os cartazes e outdoors dos candidatos a governo e senado petistas.

Além disso, não fez nada pelo Acre, não há uma rua que ela tenha ajudado a pavimentar.

Com certeza é apenas mais do mesmo.

rafernandes disse...

Nariz,

Há tanto tempo vc não postava que até desisti de abrir seu blog.

NUNCA MAIS FAÇA ISSO: vc está proibida de se omitir!

Anônimo disse...

Marina da Selva é uma fraude esganiçada tão grande ou maior que Lula da Silva, ou seja, mais do mesmo: é a mesma história de gente pobre que “nasceu analfabeta e de mãe analfabeta”, esta gente coitadinha, mas vingativa, que se alia a espertíssimos donos do capital financiadores de campanhas (no caso dela se destacam a Natura e o Itaú da socialite Milu mais as Ongs internacionais obcecadas pelas riquezas da Amazônia) de olho nas licitações fajutas para seus grandes empreendimentos e nos empréstimos a fundo perdido do BNDES. Papo mais furado esse de defesa da Ecologia, tipo exploração de nicho de mercado, como nas propagandas comerciais. E Chico Mendes? Pergunte quem era o herói seringueiro aos produtores rurais do Acre: era “gato”, isto é, agenciava e transportava boias-frias para o trabalho nos seringais. FORA MARINA, FORA PT et CATERVA, ABAIXO A VINGANÇA DE CLASSE!!!

Regina Kohl Tavares disse...

Outro ponto negativo dela é a religião. Não por preconceitos, mas o estado deve ser laico e os políticos evangélicos tem feito uma péssima política e não tem demonstrado um caráter melhor que outros, até pelo contrário. Misturar política com religião não dá certo. Eu não voto nela de jeito nenhum.

Cezar disse...

Parodiando o hino do Flamengo: ''Uma vez petralha, sempre petralha, petralha sempre até morrer..."

Anônimo disse...

Vc acerta na mosca sobre tudo que escreveu sb Marina. Meu comentário é sobre o seu sumiço. Nem me lembrava mais do seu blog. Omissão é pecado e é mortal, agora que o Brasil precisa mais do nunca de quem põe o dedo na ferida. São poucos os que têm essa coragem.
Não deixe o Brasil decente só!!! Não tome chá de sumiço novamente.

João Alves da Rocha Loures Filho disse...

Os marxistas - ´"na verdade uma fé" - tem na propaganda o mais importante dos vetores. Eles não entendem uma ação política sem exorbitância de imagem e verdades "convenientes". Os auto proclamados lideres são sofistas por instinto e deletérios por natureza. Eles tem com as instituições mera relação tática e desejo estratégico na sua destruição.
CONCORDO COM A ASSERTIVA: A MARINA SILVA É DAS PIORES ENTRE OS PIORES.

Anônimo disse...

Com aquele jeito recitado e decorado de falar, mente....e mente sobre tudo. É fingida, falsa...mente sobre sua própria história de analfabetismo e doenças. Se 10% do que ela conta que teve (doenças) fosse verdade, ela já estaria morta a muito tempo. Precisa ser desmascarada !! Com certeza é pior que lulla e dilma juntos !!!

Eliene Roberti disse...

Diferentemente do seu nariz, a sua língua....